quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Singranova

Nisa: Singranova não paga há mais de 9 meses a trabalhadores que prestam serviço á empresa.

Fonte:
http://www.radioportalegre.pt/

6 comentários:

  1. Anónimo14.10.10

    Realmente é chato!Não conseguiram arranjar um gajo com papel a precisar duns "favorzinhos" para em troca pagar os ordenados né??????

    ResponderEliminar
  2. só agora a notícia extravasou...
    já na campanha para a Câmara o Bloco de Esquerda havia denunciado a situação. inclusivamente uma deputada desse partido inquiriu através da AR a ministra do trabalho e segurança social sobre o assunto, a resposta como qualquer pode consultar é a triste realidade deste país manda quem pode e quem pode, pode tudo mesmo.
    mas como neste país e por inerência neste concelho só é notícia o que vem nos jornais, se ouve na rádio ou se vê na tv, o BE Nisa continuou a ser o grupo da mini e do charro, os trabalhadores continuaram sem receber... enfim, mais uma sentença para uma morte anunciada: a de Nisa enquanto concelho.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo17.10.10

    Se estão há mais de nove meses sem receber, como é que só agora é noticia? Realmente a rádio, tv e os jornais estão completamente controlados.

    ResponderEliminar
  4. Ah! Só para compor a triste realidade, na altura da campanha para a CMN não era apenas a Singranova que tinha salários em atraso mas também a Granisan, que entretanto pelo que me foi dito terá acordado com os trabalhadores uma solução para o problema, e a Granitos Maceira. As dívidas em causa não se prendem apenas com trabalhadores prestadores de serviços mas também aos próprios trabalhadores das empresas Singranova e Granitos Maceira, inclusivamente aos trabalhadores da sede deste grupo empresarial em Pêro Pinheiro.
    Junto às dívidas à segurança social e ao fisco adivinha-se a insolvência e respetivo encerramento.
    A Entidade para as Condições no Trabalho não agiu a tempo agora são os trabalhadores e suas famílias a pagar.
    Julgo que a Câmara teria aqui uma palavra, pelo menos de influência junto do governo e tentar encontrar uma solução para salvar estes postos de trabalho através de uma intervenção do governo ou mesmo da Câmara municipalizando as pedreiras, entregando a sua administração a uma comissão de trabalhadores.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo24.10.10

    Isto é extraordinário:
    Possivelmente há quem pense que as empresas t~em fábricas de fazer dinheiro e que os patrões não pagam porque não querem.
    Se as empresas não pagam é porque não vendem, e mesmo que vendam não conseguem receber.
    Ao contrário do Estado, as empresas não t~em impostos para subir para ir buscar o dinheiro que não chega.
    Isto é semples.

    Mas mais simples é estas cabeças misteriosas fazerem grande enfabulações obre coisas que não existem.
    Por acaso quem se manifestou à porta da Singranova são trabalhadores por contra de outrém?
    Por acaso essas pessoas aceitam falar para a comunicação social?
    Por acaso não se opõem às filmagens de tv's e fotos de jornais?

    Têm o seu direito, mas quem vem dizer disparates não tem esse direito.
    Acontece que de facto as pessoas não recebem há 9 meses ou cerca disso. É verdade, mas também é verdade que são empresários em nome individual que trabalham em acordo com a Singranova que lhes fornece a pedra e o local para trabalhar, e eles fazem cubos que a Singranova tem para vender, e ou não os vende (porque as obras dimunuiram) ou não lhos pagam, e obviamente a empresa não tem dinheiro para pagar a esses empresários.

    Isto é diferente dos trabalhadores, que por acaso também têm alguns salários em atraso e subsídios.
    Entretanto alguns dos trabalhadores t~em vindo a encontrar outras soluções ou remedeios para vida e têm vindo a sair, de modo que hoje já só há cerca de 20.

    Como vêem, grande parte do que aqui está não corresponde à verdade, e por outro lado continuo convencido que grande parte do atraso do país e da crise resulta de as pessoas não perceberem de nde vem o dinheiro, de quanto custa arranjá-lo e do gosto que é pagar ordenados.
    Difícil, difícil, é não ter dinheiro para os pagar! Isso sim, é muito difícil, tão ou mais difícil que não receber.
    os patrões sérios - e são a maioria - nesta conjuntura trabalham e não recebem, têm dívidas às costas, arriscam-se a ficar sem as suas empresas e até sem os seus bens, e sofrem muito, muito, quando não conseguem pagar ordnados, e ainda para mais quando são obrigados a pagar o IVA que não devem de facturas que não recebem porque o caloteiro do Estado não as paga, mas se não pagarem o IVA ou a SS ainda são chamados de ladrões e as empresas entram logo na falência.

    Se as pessoas em vez de criticarem o que não sabem se preocupassem a defender as empresas, aí sim, ganhavam todos, porque para os empregados receberem, para haver produtividade e se gerar riqueza não é com as Cãmaras nem com os serviços do estado mas sim com as empresas, e se estas fecharem acaba-se tudo.

    Será que conseguem perceber isto? às vezes tenham sérias dúvidas!

    ResponderEliminar
  6. Grande parte do que disse é verdade.
    Só há um pequeno detalhe.Se os patrões de muitas empresas se preocupassem mesmo com os ordenados em atraso, não se davam ao luxo te ter volvo e mercedes e bmw só para ir aos CTT levar e buscar correio.Não é verdade?Se é o não eu não sei, mas sei que quem me conta isto são os funcionários das empresas que recebem os ordenados em atraso ou `"as mijinhas"...:)
    Obrigada pela sua explicação.

    ResponderEliminar

Obrigado, volte sempre...